Projetos

Fapesp-112x36
Avaliação da desorientação provocada por mapas conceituais utilizados como organizadores de materiais de estudo
Os mapas conceituais (MCs) são organizadores gráficos com grande potencial para estimular a aprendizagem por meio de hipertextos. A possibilidade de ler um hipertexto de várias formas diferentes e a necessidade em estabelecer uma sequência de leitura gera uma demanda cognitiva adicional aos alunos, podendo comprometer os resultados da aprendizagem. O "map shock", entendido como a desorientação causada por hipertextos estruturados na forma de MCs, é o problema de pesquisa a ser estudado. O objetivo do projeto é avaliar estratégias que minimizem a desorientação causada por MCs utilizados como organizadores de materiais de estudo. O rastreamento do olhar dos alunos durante a interação com o material de estudo (MCs digitais) é proposta como forma inovadora de coletar dados empíricos para estudar o "map shock" gerado por MCs. Não há nenhum trabalho na literatura internacional que explore o rastreamento do olhar para estudar a desorientação vinculada ao uso do mapeamento conceitual. O entendimento do "map shock" e o desenvolvimento de estratégias instrucionais para minimizá-lo contribuirão para o avanço das pesquisas sobre o uso de organizadores gráficos na elaboração de materiais de estudo na forma de hipertexto. A expectativa é melhorar os resultados de aprendizagem por conta da redução do "map shock", aumentando o interesse dos professores em utilizar os MCs tanto em situações presenciais, quanto no âmbito do ensino à distância. 
Linha de fomento I Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo I 2012/22693-5
Vigência I 01 de junho de 2013 - 31 de maio de 2015

CNPq-112x36
Avaliação de estratégias instrucionais para aumentar a proficiência de iniciantes no uso de mapas conceituais
Os mapas conceituais (MCs) foram desenvolvidos há quase 40 anos pelo grupo de pesquisa liderado pelo Dr Joseph D. Novak. Originalmente utilizado no âmbito do ensino de ciências, o mapeamento conceitual é considerado atualmente como uma poderosa ferramenta de representação gráfica de informação e conhecimento. Conferências internacionais sobre o tema não deixam dúvidas de que os MCs podem ser utilizados na sala de aula e nos ambientes organizacionais. A aparente facilidade com que os MCs podem ser produzidos torna essa técnica atraente para os iniciantes e pode explicar sua popularidade crescente. Entretanto, o uso ingênuo do mapeamento conceitual produz pouco (ou nenhum) dos benefícios descritos na literatura, transformando essas experiências em acontecimentos meramente lúdicos sem consequências para o processo de aprendizagem.
A proficiência do mapeador é um parâmetro crítico para garantir o uso adequado dos MCs em sala de aula, a fim de que estimule a aprendizagem significativa, em detrimento da aprendizagem mecânica. O principal objetivo desse projeto é verificar a eficiência de três estratégias instrucionais para aumentar a proficiência de usuários iniciantes na elaboração de mapas conceituais (MCs). Os trabalhos científicos já desenvolvidos pelo nosso grupo de pesquisa nortearam a proposição do Mapa Conceitual Semi Estruturado (MCSE), da Aprendizagem Colaborativa Expandida (ACE) e da Tabela de Clareza Proposicional (TCP) como estratégias instrucionais para auxiliar os iniciantes a compreenderem de forma clara os conceitos centrais do mapeamento conceitual: “Proposição”, “Perguntal Focal”, “Recursividade” e “Hierarquia”.
Linha de fomento I Universal - 2011
Processo I 486194/2011-6
Vigência I 14 de dezembro de 2011 - 13 de março de 2014